REI UBU-KOWISKI: El loco Gomez-Pena

segunda-feira, outubro 03, 2005

El loco Gomez-Pena



www.pochanostra.com


Não faço versos,
Lendo copio-os,
copiando produzo.


Mentira! Mentira! - Millôr

* Um homem que mente e diz que mente, mente ou não mente? Se diz a verdade quando diz que mente, não mente. E, se diz mentira quando diz que mente, também não mente.
* Vantagem extraordinária é a do mentiroso. Enquanto os outros sabem apenas o que sabem, ele sabe sempre alguma coisa a mais.
* A mentira é a mais-valia arrancada da credulidade. Já que a mentira só existe quando há um crédulo. Pois ao cético ninguém mente. Ele não crê nem na verdade.
* O que vive repetindo a palavra indubitável é, indubitavelmente, um mentiroso.
* Mentimos mesmo quando estamos sozinhos.
* Jamais diga uma mentira que não possa provar.
* Uma mentira é a do que mente. Outra é a do escutador (imitando Graciliano Ramos).
* É inútil apontar alguém como mentiroso. Todo mundo é.
* Desenvolveu tanto a arte da mentira que todos acreditam nele. Ele é que não acredita em mais ninguém.
* A inverdade, apanhada na hora, chamamos de mentira deslavada. Um ano depois será considerada apenas uma outra faceta da verdade. Se persistir na memória, diremos que é um rapto de imaginação da pessoa que a pronunciou. Um século depois já ninguém mais saberá quem disse, e ela será parte fundamental da sabedoria popular, se transformará em fantasia, em ode, em épico, quem sabe em conceito geral de eternidade filosófica?