REI UBU-KOWISKI: Agosto 2005

quarta-feira, agosto 31, 2005

Telhados de Paris

Venta
Ali se vê
Onde o arvoredo inventa um ballet
Enquanto invento aqui pra mim
Um silêncio sem fim
Deixando a rima assim
Sem mágoas, sem nada
Só uma janela em cruz
E uma paisagem tão comum
Telhados de Paris
Em casas velhas, mudas
Em blocos que o engano fez aqui
Mas tem no outono uma luz
Que acaricia essa dureza cor de giz
Que mora ao lado e mais parece outro país
Que me estranha mas não sabe se é feliz
E não entende quando eu grito

O tempo se foi
Há tempos que eu já desisti
Dos planos daquele assalto
E de versos retos, corretos
O resto da paixão, reguei
Vai servir pra nós
O doce da loucura é teu, é meu
Pra usar à sós
Eu tenho os olhos doidos, doidos, já vi
Meus olhos doidos, doidos, são doidos por ti

Tudo Que Vai

Hoje é o dia
Eu quase posso tocar o silêncio
A casa vazia
Só as coisas que você não quis
Me fazem companhia
Eu fico à vontade com a sua ausência...
Eu já me acostumei a te esquecer

Tudo que vai
Deixa o gosto, deixa as fotos
Quanto tempo faz
Deixa os dedos, deixa a memória
Eu nem me lembro

Salas e quartos
Somem sem deixar vestígio
Seu rosto em pedaços
Misturado com o que não sobrou
Do que eu sentia
Eu lembro dos filmes que eu nunca vi...
Passando sem parar em algum lugar

Tudo que vai
Deixa o gosto, deixa as fotos
Quanto tempo faz
Deixa os dedos, deixa a memória
Eu nem me lembro mais
Fica o gosto, ficam as fotos
Quanto tempo faz
Ficam os dedos, fica a memória
Eu nem me lembro mais

Quanto tempo, eu já nem sei mais o que é meu
Nem quando, nem onde

Tudo que vai
Deixa o gosto, deixa as fotos
Quanto tempo faz

Mr. president

Pindorama de Daslu-lla

Severino (pai d'égua), filho de uma vaca com um asno, defendeu punição branda para os acusados de terem se beneficiado de esquema de caixa 2 em campanhas eleitorais. O ataque, em resposta, mais duro partiu de Fernando Gabeira (PV-RJ), que acusou Severino de usar o cargo para interferir em favor de empresas e reclamou de seu posicionamento sobre as investigações: "Sua atuação é indigna para o cargo de presidente da câmara. Vossa Excelência está em contradição com o Brasil. Ou fica calado ou iniciaremos um movimento para derrubá-lo do cargo", disse Gabeira. Possesso, Severino respondeu: "Recolha-se a sua insignificância. Não aceito suas palavras". Na saída, ao ser indagado se representaria no Conselho de Ética contra Gabeira, Severino provocou: "Não sei, o que sei é que ele quer se afirmar como homem, mas não sei se conseguiu se firmar ainda". Olha o níver(sic) da chinelagem oficial em Pindorama!
NOTA: O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Nelson 'perventim' Jobim, negou ontem que o Poder Judiciário possa fazer qualquer tipo de interferência para resolver a crise que atinge o país. Segundo ele, o atual cenário deve ser corrigido no "ambiente político". Eu devo ter vendido os pregos para o soldado romano!

Ao falar sobre a crise política que atinge o governo e o PT, o presidente recomendou ontem em Uberlândia (MG), que o povo brasileiro tenha cuidado com a imprensa, denominada por ele como "ave de mau agouro". Diante de 2 mil(claque?) pessoas que assistiam à inauguração das obras de ampliação do aeroporto da cidade, Lula avisou: "Toda vez que vier uma notícia muito escandalosa, analise, leia duas vezes (e ele sabe?). Veja se tem verdade. Eu cansei de ver no Brasil denúncias e mais denúncias e depois não se prova nada e não acontece nada com quem acusou". O presidente cobrou seriedade da imprensa e disse que o Brasil precisa criar um instrumento de pedido de desculpas. Então,tá! Peço, desculpas aos meus bisnetos por ter votado por QUATRO vezes nesse jugunço jacú imberbe!

terça-feira, agosto 30, 2005

Agora eu sei

Há muito tempo eu ouvi dizer que um homem vinha para nos mostrar
Que todo mundo é bom e que ninguém é tão ruim
O tempo voa e agora eu sei que só quiseram me enganar
Tem gente boa que me fez sofrer,
Tem gente boa que me faz chorar

Agora eu sei, posso te contar
Não acredite se ouvir também
Que alguém te ama e sem você não consegue viver

Quem vive mente mesmo sem querer
E fere o outro não pelo prazer, mas pela evidente razão: sobreviver

Não é possível mais ignorar que quem me ama me faz mal demais
Mas ainda é cedo para saber se isso é ruim ou se é muito bom
O tempo voa e agora eu sei que só quiseram me enganar
Tem gente boa que me fez sofrer,
Tem gente boa que me faz chorar

Quem vê seu rosto só pensa no bem que você pode fazer a quem tiver a chance de te possuir
Mal sabe ele como é triste ter amor demais sem nada a receber
Que possa compensar o que isto traz de dor

Somos quem podemos ser

um dia me disseram
que as nuvens não eram de algodão
um dia me disseram
que os ventos as vezes erram a direção
e tudo ficou tão claro
um intervalo na escuridão
(uma estrela de brilho raro
um disparo pára um coração)

a vida imita o vídeo
garotos inventam um novo inglês
vivendo num país sedento
um momento de embriaguez

"somos quem podemos ser
sonhos que podemos ter"

um dia me disseram
quem eram os donos da situação
sem querer eles me deram
as chaves que abrem esta prisão
e tudo ficou tão claro
o que era raro ficou comum
(como um dia depois do outro
como um dia, um dia comum)

a vida imita o vídeo
garotos inventam um novo inglês
vivendo num país sedento
um momento de embriaguez

"somos quem podemos ser
sonhos que podemos ter"

um dia me disseram
que as nuvens não eram de algodão
sem querer eles me deram
as chaves que abrem esta prisão

"quem ocupa o trono tem culpa
quem oculta o crime também
quem duvida da vida tem culpa
quem evita a dúvida também tem"

"somos quem podemos ser
sonhos que podemos ter"

A paz é inútil para nós

As vitrines estão sempre acesas
A paz é feita de pequenos crimes
E de muros cada vez mais altos
Aguardando grandes assaltos

Vigiados todos nós estamos calmos


Não podemos ler as placas e os out-doors
Não teremos filhos, netos
Não tivemos pais e avós

A paz é inútil para nós
A paz é o que não podemos ter
Que a paz esteja com você

A paz com todas as forças
Prá deixar tudo como está
Na TV, na vitrine, no cartaz
Não se deve perturbar a paz

Fique em paz!

Ao som dos alarmes
Homens e mulheres armados
Cães e crianças brincando com armas
A paz com todas as forças

Fique em paz
A paz é inútil para nós
Fique em paz
Que a paz esteja com você

A paz está por trás de doces palavras
E lenços brancos e buquês de flores
Pairando no ar sobre o mar
Num amanhecer em algum lugar
É dia das crianças, reveillon, natal
Dia de graças, das mães, dia de sol

A paz é inútil para nós
A paz é o que não podemos ter
Que a paz esteja com você

Fique em paz!
A paz é inútil para nós
Fique em paz!
A paz é o que não podemos ter
Fique em paz!
Há paz onde não podemos ir
Fique em paz!
A paz é inútil para nós
A paz é o que não podemos ter
Que a paz esteja com você
Fique em paz!

Contundente Sarcasmo

A vida é um ato físico. Depois de possuir físico em razoáveis condições de apresentação e desempenho é que vem o intelectual, o psíquico, o sentimental. "É preciso um mínimo de bens materiais para exercer as virtudes do espírito", me dizia o Sto. Agostinho. Mas há também o físico que desce de categoria. O vosso Lula, por exemplo, passada a euforia da farsa, já está ficando com o físico típico da caricatura de ditadorzinho sudamericano _ baixinho, gordinho, barrigudinho. Aproveito o espaço para pedir desculpas. Não sei porquê. Mas, está na moda.

domingo, agosto 28, 2005

Bezerra da Silva

Zé fofinho de Ogum
Era um tremendo cento e setenta e um

Dizia que os búzios falavam
Tudo o que ele queria saber
Desde a hora em que nasceu
Até a hora em que ia morrer

Amarrava mulher, amansava marido
O Zé só faltava era fazer chover

A linda esposa do delegado Osvaldo Cruz
Ele bateu de montão
Pra dizer que o doutor andava lhe traindo
E ela pensando que ele era bom

Com uma linda imagem de São Jorge
Em suas costas, muito bem tatuado
O Zé com um papo de cão-caô
Dizia que tinha o corpo fechado

E quando sujou geral
Ele pelo Santo não foi avisado
De repente pintou a caçapa
Era o Zé frente a frente com o delegado

O doutor muito invocado
Gritou o coro vai comer

Tira a roupa do malandro
E bate até o cavalo correr

Gita - Raulzito

"Eu que já andei pelos quatro cantos do mundo procurando,
foi justamente num sonho que ele me falou"

Às vezes você me pergunta
Por que é que eu sou tão calado
Não falo de amor quase nada
Nem fico sorrindo ao teu lado

Você pensa em mim toda hora
Me come, me cospe, me deixa
Talvez você não entenda
Mas hoje eu vou lhe mostrar

Eu sou a luz das estrelas
Eu sou a cor do luar
Eu sou as coisas da vida
Eu sou o medo de amar

Eu sou o medo do fraco
A força da imaginação
O blefe do jogador
Eu sou, eu fui, eu vou

Gita gita gita gita gita

Eu sou o seu sacrifício
A placa de contra-mão
O sangue no olhar do vampiro
E as juras de maldição

Eu sou a vela que acende
Eu sou a luz que se apaga
Eu sou a beira do abismo
Eu sou o tudo e o nada

Por que você me pergunta
Perguntas não vão lhe mostrar
Que eu sou feito da terra
Do fogo, da água e do ar

Você me tem todo dia
Mas não sabe se é bom ou ruim
Mas saiba que eu estou em você
Mas você não está em mim

Das telhas eu sou o telhado
A pesca do pescador
A letra A tem meu nome
Dos sonhos eu sou o amor

Eu sou a dona de casa
Nos pegue-pagues do mundo
Eu sou a mão do carrasco
Sou raso, largo, profundo

Gita gita gita gita gita

Eu sou a mosca da sopa
E o dente do tubarão
Eu sou os olhos do cego
E a cegueira da visão

Mas eu sou o amargo da língua
A mãe, o pai e o avô
O filho que ainda não veio
O início, o fim e o meio

Meu erro

Eu quis dizer -
você não quis escutar
Agora não peça,
não me faça promessas
Eu não quero te ver
Nem quero acreditar
que vai ser diferente
Que tudo mudou.

Você diz não saber
o que houve de errado e
O meu erro foi crer
que estar ao seu lado bastaria
Ah meu Deus -
era tudo o que eu queria
Eu dizia o seu nome
Não me abandone jamais.

Mesmo querendo
eu não vou me enganar
Eu conheço seus passos
eu vejo seus erros
Não há nada de novo
Ainda somos iguais
Então não me chame
Não olhe pra trás.

Dos margaritas

Fazer um desenho nas costas da mão
Despir a consciência das dores morais
Jogar uma vaca do décimo andar
Viajar sob a lua que varre os sertões
Uma ostra chilena, um beijo em Paris
Se cortasse o cabelo e mudasse o nariz
Se Vital escrevesse a constituição
Se eu nunca quisesse quem nunca me quis
Ser dois e ser dez e ainda ser um
Se a vingança apagasse a dor que eu senti
Ser seco, reto, isento, amoral
Se eu nunca lembrasse o estrago que eu fiz

Tudo isso me faria feliz
Absurdos me fariam feliz
Pero nada me hará tan feliz
Como dos margaritas

Ouro de Tolo - Rauzito

Eu devia estar contente
Porque tenho um emprego
Sou o dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros por mês

Eu devia agradecer ao Senhor
Por ter tido sucesso na vida como artista
Eu devia estar feliz porque consegui comprar
Um corcel 73

Eu devia estar alegre e satisfeito
Por morar em Ipanema
Depois de ter passado fome por dois anos
Aqui na cidade maravilhosa
Eu devia estar sorrindo e orgulhoso
Por ter finalmente vencido na vida
Mas eu acho isto uma grande piada
E um tanto perigosa

Eu devia estar contente
Por ter conseguido tudo que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado
Porque foi tão fácil conseguir

E agora eu me pergunto, e daí?
E tenho uma porção de coisas grandes
Prá conquistar, eu não posso ficar aí parado

Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o Domingo
Prá ir com a família ao jardim zoológico
Dar pipoca aos macacos
Ah, mas que sujeito chato sou eu
Que não acha nada engraçado
Macaco, praia, carro, jornal, tobogã
Eu acho tudo isso um saco

É você se olhar no espelho
Se sentir um grandessíssimo idiota
Saber que é humano, ridículo
limitado, e que só usa dez por cento
de sua cabeça animal
E você ainda acredita que é um doutor
Padre ou policial
e que está contribuindo com sua parte
para o nosso belo quadro social

Eu é que não me sento
No trono de um apartamento
Com a boca escancarada
Cheia de dente, esperando a morte chegar

Porque longo das cercas embandeiradas
Que separam quintais
No cume calmo do meu olho que vê
Assenta a sombra sonora
Dum disco voador...

Sex camuflagem

sábado, agosto 27, 2005

Brothers

sexta-feira, agosto 26, 2005

Depois do prazer - Alcione

Tô fazendo amor com outra pessoa
Mas meu coração vai ser pra sempre teu
O que o corpo faz a alma perdoa
Tanta solidão quase me enlouqueceu
Vou falar que é amor
Vou jurar que é paixão
E dizer o que sinto com todo carinho pensando em você
Vou fazer o que for
E com toda emoção
A verdade é que eu minto que vivo sozinho não sei te esquecer
E depois acabou
Ilusão que eu criei
Emoção foi embora e a gente só pede pro tempo correr
Já não sei quem me amou
Que será que eu falei
Da pra ver nessa hora que amor só se mede depois do prazer
Fica dentro do meu peito sempre com saudade
Só pensando no teu jeito eu amo de verdade
E quando o desejo vem é teu nome que eu chamo
Posso até gostar de alguém mas é você que eu amo
é você que eu amo..

Essa tal felicidade - Tim Maia

Já rodei todo esse mundo procurando encontrar
Um amor, um bem profundo que eu pudesse realizar
Os meus sonhos de criança, como todo mundo faz
De formar uma família como não era dos meus pais
Mas o tempo foi passando e a coisa mudou
Solidão foi se chegando e se acostumou
Essa tal felicidade, hei de encontrar
Mesmo se eu tiver que aguardar, se eu tiver que esperar
De uma coisa eu não desisto, sou fiel não abro mão
De ter filhos, ter amigos, companheira e irmãos
Se essa vida é bonita, ela é feita pra sonhar
Mais aumento o meu desejo de afinal te encontrar
Mas o que eu não me acostumo é com a solidão
Um pedaço do seu beijo ou seu coração
Isso já me fortalece me faz delirar

I like jew!

Ata benigna

O TCU aprovou uma auditoria na Casa Civil e na Agência Brasileira de Inteligência para identificar possíveis irregularidades no uso do cartão de crédito corporativo. O aumento expressivo desses gastos no governo Lula e os saques em dinheiro em valores elevados, feitos inclusive por funcionários da Presidência encarregados de pagar as contas de Lula e Maria Letícia, chamaram a atenção do TCU. Segundo a Revista "Isto é Dinheiro", funcionários do planalto usaram os cartões de crédito corporativo para sacar R$ 9 milhões em dnheiro vivo. Dá vontade de vomitar!
O pronunciamento do Mulla ontem, dizendo a integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico que não seguirá os exemplos dos ex-presidentes Vargas, Goulart e Jânio; provocam reação de indignação. Explico. Houve extrema pretensão e mau gosto. Lula não tem a grandiosidade desses homens, nem noção das dificuldades por eles enfrentadas. Por ser neófito atende aos anseios de uma oposição sequiosa por envenenar a crise.
Pelo menos o STF manteve ontem a resolução de TSE que reduziu o número de vereadores no país. Menos parasitas para sustentar-mos. E tenho dito!

Ariano Suassuna

" Sou um grande mentiroso; todo escritor precisa mentir para que as coisas ganhem magia. Não preciso de leitores, e sim de cúmplices."

quinta-feira, agosto 25, 2005

Primeiro amor

Desiste de ficar assim
Que lá no fim da solidão
Ninguém vai te explicar tintim
Quem pode te ajudar a lamentar a razão?

Fosse por mim, era lei
Cada paixão que eu guardei
Se eu precisar, tava ali
Tava como eu deixei
Pronta para amar, uivando
Louca pra dizer que sim e sim mais uma vez

Talvez
Chorando pra nascer
A vida aponte o rumo da emoção
Então
Quando o primeiro amor
Deixa certezas presas por um triz
Quem diz
Se é um começo ou fim
E bem no meio dessa confusão
Vai ver
O teu final feliz
É minha próxima atração

Desiste de ficar assim
Que lá no fim da solidão
Ninguém vai te explicar tintim
Quem pode te ajudar a lamentar a razão?

Fosse por mim, era lei
Cada paixão que eu guardei
Se eu precisar, tava ali
Tava como eu deixei
Pronta para amar, uivando
Louca pra dizer que sim e sim mais uma vez

Talvez
Chorando pra nascer
A vida aponte o rumo da emoção
Então
Quando o primeiro amor
Deixa certezas presas por um triz
Quem diz
Se é um começo ou fim
E bem no meio dessa confusão
Vai ver
O teu final feliz
É minha próxima atração

Pleasure for oil

quarta-feira, agosto 24, 2005

War for oil

Cisjordania free now!

terça-feira, agosto 23, 2005

Romance

Todas as bobagens que eu já disse
Dariam pra encher um caminhão
Mesmo assim encontro no caminho
Milhares mais otários do que eu
Por isso meu amor
Não leve tão a sério
Nem o que eu digo
Nem o que eu deixo de esconder
Não vai ter graça o dia
Em que eu bater a porta
E você não abrir pra responder

Todas as pessoas que eu conheço
Cabem bem juntinhas na palma da mão
Pra você guardei um universo
Quando falta espaço, eu faço um verso
E durmo na canção
Por isso meu amor
Não pense que é brinquedo
Eu tenho medo e morro de paixão
Não vai ter graça o dia
Em que eu abrir a porta
E a tua mão vazia disser não

Todas as bobagens que eu já disse
Dariam pra encher um caminhão
Pra você guardei um universo
Quando falta um verso, peço teu perdão
Por isso meu amor
Não leve tão a sério
Se eu morro de medo, brinco de paixão
Não vai ter graça o dia
Em que eu te vir na porta
E não souber se entro ou faço uma canção

O apocalipse é aqui!

Trocadilhos Infames [ Da arte de comer moscas ]

Não sei o que faço:
acatar ou atacar
onde Luanda
não anda.
Estética esticada
em meias palavras
que são meias-furadas.
Faço o que posso.

domingo, agosto 21, 2005

República de Bananas


My sweet lord

My sweet lord
Hm, my lord
Hm, my lord

I really want to see you
Really want to be with you
Really want to see you lord
But it takes so long, my lord

My sweet lord
Hm, my lord
Hm, my lord

I really want to know you
Really want to go with you
Really want to show you lord
That it won't take long, my lord (hallelujah)

My sweet lord (hallelujah)
Hm, my lord (hallelujah)
My sweet lord (hallelujah)

I really want to see you
Really want to see you
Really want to see you, lord
Really want to see you, lord
But it takes so long, my lord (hallelujah)

My sweet lord (hallelujah)
Hm, my lord (hallelujah)
My, my, my lord (hallelujah)

I really want to know you (hallelujah)
Really want to go with you (hallelujah)
Really want to show you lord (aaah)
That it won't take long, my lord (hallelujah)

Hmm (hallelujah)
My sweet lord (hallelujah)
My, my, lord (hallelujah)

Hm, my lord (hare krishna)
My, my, my lord (hare krishna)
Oh hm, my sweet lord (krishna, krishna)
Oh-uuh-uh (hare hare)

Now, I really want to see you (hare rama)
Really want to be with you (hare rama)
Really want to see you lord (aaah)
But it takes so long, my lord (hallelujah)

Hm, my lord (hallelujah)
My, my, my lord (hare krishna)
My sweet lord (hare krishna)
My sweet lord (krishna krishna)
My lord (hare hare)
Hm, hm (Gurur Brahma)
Hm, hm (Gurur Vishnu)
Hm, hm (Gurur Devo)
Hm, hm (Maheshwara)
My sweet lord (Gurur Sakshaat)
My sweet lord (Parabrahma)
My, my, my lord (Tasmayi Shree)
My, my, my, my lord (Guruve Namah)
My sweet lord (Hare Rama)

(hare krishna)
My sweet lord (hare krishna)
My sweet lord (krishna krishna)
My lord (hare hare)

sábado, agosto 20, 2005

À primeira vista

quando não tinha nada eu quis
quando tudo era ausência esperei
quando tive frio tremi
quando tive coragem liguei

quando chegou carta abri
quando ouvi prince dancei (salif keita)
quando o olho brilhou entendi
quando criei asas voei

quando me chamou em vim
quando dei por mim tava aqui
quando lhe achei me perdi
quando vi você me apaixonei

sexta-feira, agosto 19, 2005

O cerco tá fechando!

Milonga Abaixo de Mau Tempo

Coisa esquisita a gadaria toda
Penando a dor do mango com o focinho n'água
O campo alagado nos obriga à reza
No ofício de quem leva pra enlutar as mágoas
Olhar triste do gado atravessando o rio
A baba dos cansados afogando a volta
A manha de quem berra no capão do mato
E o brabo de quem cerca repontando a tropa
(agarra amigo o laço enquanto o boi tá vivo
A enchente anda danada molestando o pasto
A passo que descampa a pampa dos mil réis
E a bóia que se come retrucando o tempo
Aparta no rodeio a solidão local
Pealando mal e mal o que a razão quiser
Amada me deu saudade
Me fala que a égua tá prenha que o porco tá gordo
Que o baio anda solto que toda cuscada lá em casa comeu)
Coisa mais sem sorte esta peste medonha
Curando os mais bichados deu febre no gado
Não fosse a chuvarada se metendo a besta
Traria mil cabeças com a bênção do pago
Dei falta da santinha limpando os pesuelos
E do terço de tento nas prece sinuelas
Logo em seguidinha é semana santa
Vou cego pra barranca e só depois vou vê-la

domingo, agosto 14, 2005

Beautiful Day - U2

O coração é um broto,
Floresce rápido em meio ao chão pedregoso.
Mas não tem nenhum quarto,
nenhum espaço para alugar nesta cidade.
Você está sem sorte e [sem] o motivo que tinha para importar-se,
O trânsito está parado e você não está se movendo para lugar algum
Você pensou que encontraria um amigo
para te tirar deste lugar,
Alguém a quem você poderia "dar uma mão" em troca pelo favor.

Está um lindo dia, o céu desaba
E você sente como se fosse um lindo dia.
Está um lindo dia,
Não deixe-o escapar...

Você está na estrada, mas você não tem nenhum destino.
Você está na lama, no labirinto da imaginação dela.
O seu amor esta acabado, ainda que isso não soe verdadeiro.
Você esteve em todo lugar e estava em você todo.

Está um lindo dia,
Não deixe-o escapar.
Está um lindo dia...

Toque-me, leve-me para aquele outro lugar.
Ensine-me, eu sei que não um caso sem esperança...

Veja o mundo de verde e azul,
Veja a China bem na frente de você.
Veja os canyons interrompidos pela nuvem,
Veja os cardumes de atum fugindo mar afora,
Veja os fogos dos beduínos à noite,
Veja os campos de petróleo à primeira luz [do dia];
Veja o pássaro com uma folha na boca,
Após a enchente, todas as cores saíram...

Estava um dia lindo,
Não deixe-o escapar,
Dia lindo...

Toque-me, leve-me para aquele outro lugar.
Alcance-me, eu sei que não um caso sem esperança...

O que você não tem, você não precisa agora.
O que você não sabe, você pode sentir de algum modo.
O que você não tem, você não precisa agora,
Não precisa agora...

Estava um lindo dia...

Costumes

Eu pensei
que pudesse esquecer
certos velhos costumes
Eu pensei
que já nem me lembrasse
de coisas passadas

Eu pensei
que pudésse enganar
a mim mesmo dizendo
que essas coisas da vida em comum
não ficavam marcadas

Não pensei
que me fizessem falta
umas poucas palavras
dessas coisas simples
que dizemos antes de dormir

De manhã
o bom dia na cama
a conversa informal
o beijo depois o café
o cigarro e o jornal

Os costumes me falam de coisas
de factos antigos
não me esqueço das tardes alegres
com nossos amigos

Um final de programa
fim de madrugada
o aconchego na cama
a luz apagda
essas coisas
só mesmo com o tempo
se pode esquecer

E então eu me vejo sozinho como estou agora
e respiro toda a liberdade
que alguém pode ter

De repente ser livre
até me assusta
me aceitar sem você
certas vezes me custa
como posso esquecer dos costumes
se nem mesmo esquecí de você!!!

Acima Do Sol

Assim ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim , eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Tão fácil perceber
Que a sorte escolheu você
E você cego nem nota

Quando tudo ainda é nada
Quando o dia é madrugada
Você gastou sua cota

Eu não posso te ajudar
Esse caminho não há outro
Que por você faça

Eu queria insistir
Mas o caminho só existe
Quando você passa

Quando muito ainda pouco
Você quer infantil e louco
Um sol acima do sol

Mas quando sempre é sempre nunca
Quando ao lado ainda e muito mais longe
Que qualquer lugar

Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim , eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Se a sorte lhe sorriu
Porque não sorrir de volta
Você nunca olha a sua volta

Não quero estar sendo mal
Moralista ou banal
Aqui está o que me afligia

Um dia ela já vai
Achar o cara que lhe queira
Como você não quis fazer

Sim , eu sei que ela só vai
Achar alguém pra vida inteira
Como você não quis

Codinome Beija-Flor

Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou

Pra que tentar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor

Eu protegi teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor (nunca)
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor

Double de Corpo

Eu não reconheço mais
Olhando as fotos do passado
O habitante do meu corpo
Esse estranho double de retratos

Talvez até eu já vivesse
Em algum corpo emprestado
Esperando só por você
Pra reunir meus pedaços

Foi tanta força que eu fiz por nada
Pra tanta gente eu me dei de graça
Só pra você eu me poupei
Será que o tempo sempre disfarça
Tomara um dia isso tudo passa
Desculpa as mágoas que eu deixei

Eu já dei a outra alma
Aos bruxos e vampiros
Quero que eles façam a festa
Enquanto eu me retiro

Só você sentiu por mim
O que nem eu sentiria
Você foi o meu escudo
E eu a própria covardia

Se voce ainda acreditar
Eu prometo dublar seu corpo
Te proteger, te poupar das dores
Te devolver o amor em dobro
Não se ama amor em vão

Bozo # 2


sábado, agosto 13, 2005

Ser Homem Ser

Escreva árvores,
comerás letras;
Plante filhos,
colherás luz;
Gere livros,
serás eterno.

sexta-feira, agosto 12, 2005

Light my fire

You know that it would be untrue
You know that I would be a liar
If I was to say to you
Girl, we couldn't get much higher

Come on baby, light my fire
Come on baby, light my fire
Try to set the night on fire

The time to hesitate is through
No time to wallow in the mire
Try now we can only lose
And our love become a funeral pyre

Come on baby, light my fire
Come on baby, light my fire
Try to set the night on fire, yeah

The time to hesitate is through
No time to wallow in the mire
Try now we can only lose
And our love become a funeral pyre

Come on baby, light my fire
Come on baby, light my fire
Try to set the night on fire

You know that it would be untrue
You know that I would be a liar
If I was to say to you
Girl, we couldn't get much higher

Come on baby, light my fire
Come on baby, light my fire
Try to set the night on fire

Try to set the night on fire
Try to set the night on fire
Try to set the night on fire

The End - Morrison

This is the end, beautiful friend
This is the end, my only friend
The end of our elaborate plans
The end of everything that stands
The end

No safety or surprise
The end
I'll never look into your eyes again

Can you picture what will be
So limitless and free
Desperately in need of some stranger's hand
In a desperate land

Lost in a Roman wilderness of pain
And all the children are insane
All the children are insane
Waiting for the summer rain
There's danger on the edge of town
Ride the King's highway
Weird scenes inside the gold mine
Ride the highway West, baby

Ride the snake
Ride the snake
To the lake
To the lake

The ancient lake, baby
The snake is long
Seven miles
Ride the snake

He's old
And his skin is cold
The West is the best
The West is the best
Get here and we'll do the rest

The blue bus is calling us
The blue bus is calling us
Driver, where are you taking us?

The killer awoke before dawn
He put his boots on
He took a face from the ancient gallery
And he walked on down the hall

He went into the room where his sister lived
And then he paid a visit to his brother
And then he walked on down the hall
And he came to a door
And he looked inside
Father
Yes son?
I want to kill you
Mother, I want to. . .

C'mon baby, take a chance with us
C'mon baby, take a chance with us
C'mon baby, take a chance with us
And meet me at the back of the blue bus

This is the end, beautiful friend
This is the end, my only friend
The end

It hurts to set you free
But you'll never follow me

The end of laughter and soft lies
The end of nights we tried to die

This is the end

Bozo

quinta-feira, agosto 11, 2005

Códigos

Capacidade de D3C0D1F1C4Ç40 do Cérebro Humano


M473M471C0 (53N54C1ON4L):

4S V3235 3U 4C0RD0 M310 M473M471C0.

D31X0 70D4 4 4857R4Ç40 N47UR4L D3 L4D0

3 M3 P0NH0 4 P3N54R 3M NUM3R05,

C0M0 53 F0553 UM4 P35504 R4C10N4L.

540 5373 D1550, N0V3 D4QU1L0...

QU1N23 PR45 0NZ3...

7R323N705 6R4M45 D3 PR35UNT0...

M45 L060 C410 N4 R34L

3 C0M3Ç0 4 F423R V3R505

H1NDU-4R481C05

quarta-feira, agosto 10, 2005

Samurai

Digitais

Manhas com mães,
mãos com mumunhas.
Minhas com mães,
manhãs com minhas.

Até quando?

Quando é onde,
onde é como.
"Quando é como,
onde é quando."
(como é quando?)

terça-feira, agosto 09, 2005

Nó Gordio

É destruidor no tom, melodramático nas pausas, quando dá tempo aos cérebros ouvintes de captar o alcance do que acaba de dizer. No silêncio, abaixa o tronco e a cabeça, eleva os olhos para o seu alvo e faz com que aqueles olhos sombrios mostrem o tamanho de seu desprezo e a falta de limites de sua determinação.

Cinema Mudo [Só imagem]

"... fica esperando chegar de Londres, Roma ou de Paris a última moda, tendência política, a música, o pensamento. Dizendo-se ser original com sua idéias de aluguel e, de que é diferente e diferente se encontra em todos os pontos igualmente diferentes..."

segunda-feira, agosto 08, 2005

SCHADENFREUNDEN [Prazer na desgraça doutros]

Parecem palavras simplórias, óbvias. Porém, há momentos em que, prosaicamente, dizer obviedades pode nos livrar do pior.

terça-feira, agosto 02, 2005

Veridicto divino ou madeira que cupim não roe

É o fim! É o fim no fio da espada por castigo, peste ou fome.
E, de presto a musa vem:
A inspiração ao albor do dia
no lixo cosmopolitano
em que a choldra
sequazes esquartejavam
no bafejado dizer acre:
Malfeitoria prescreve?

Congacomtrava

Contra a grata refrescância
da chuva da vida
não há guarda-chuva
transparente que apare.